Movimentos expressam solidariedade a Roger Water após ataques sionistas no Brasil

Movimentos e organizações em solidariedade à Palestina no Brasil emitiram uma nota em defesa de Roger Waters, que tem sido alvo de uma campanha difamatória promovida por entidades sionistas no país e no mundo. De acordo com o comunicado, a acusação de antissemitismo é usada como uma estratégia para silenciar vozes críticas ao apartheid israelense.

Leia na íntegra:
 

NOTA DE SOLIDARIEDADE AO ARTISTA ROGER WATERS

 

Os movimentos de solidariedade ao povo palestino, reunidos sob o chamado do movimento BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções), expressam sua profunda solidariedade ao renomado artista britânico, Roger Waters, que tem sido alvo de uma campanha difamatória promovida por entidades sionistas no Brasil e no mundo. Essa campanha busca desacreditar Waters e impedir os shows de sua turnê "Farewell", alegando suposta "exaltação" do nazismo.

É importante destacar que, ao longo de mais de 40 anos de carreira, Waters tem sido um crítico ferrenho do fascismo, da opressão dos povos e do autoritarismo. Sua postura de oposição a governos e estados coloniais e opressores sempre foi central e histórica em sua produção cultural e artística. Em sua famosa interpretação como Pink Floyd, Waters incorpora o papel de um general nazista durante um comício fascista, usando a imagem como uma metáfora poderosa para expressar os horrores do nazifascismo e da extrema-direta. Essa representação icônica foi imortalizada no filme "Pink Floyd: The Wall" (1982), onde o ator Bob Geldof desempenha o papel principal.

Além disso, o álbum "The Wall", composto por Waters, é uma obra que foi inspirada pela história pessoal do artista. Seu pai, morto durante a Segunda Guerra Mundial enquanto participava de uma campanha de resistência contra os nazistas, é uma fonte de influência significativa para o tema do álbum. Portanto, acusar Waters de exaltar o nazismo é uma distorção flagrante dos fatos e uma tentativa injusta de difamá-lo.

É fundamental compreender que a acusação de antissemitismo é frequentemente usada como uma estratégia para silenciar vozes críticas ao apartheid israelense. O movimento BDS já discutiu amplamente a instrumentalização do antissemitismo com o intuito de deslegitimar as críticas ao tratamento injusto e discriminatório imposto ao povo palestino. Nesse contexto, é ainda mais inaceitável que o Estado brasileiro ceda às pressões sionistas e permita que a difamação comprometa a liberdade de expressão e a capacidade de artistas como Roger Waters de se manifestarem.

Portanto, reiteramos nossa solidariedade a Roger Waters e a todos aqueles que são vítimas dessas campanhas difamatórias sionistas. Repudiamos veementemente a desonestidade dessas acusações de antissemitismo, que são utilizadas como uma forma de desviar o foco das violações de direitos humanos e das políticas de ocupação e apartheid promovidas pelo Estado de Israel. Estamos comprometidos com a luta pelos direitos humanos fundamentais do povo palestino e pela justiça social, e continuaremos a apoiar artistas e ativistas que se manifestam em defesa desses princípios universais.

Results for: PACBI Statements

Declaração PACBI
Earlier in September, in the lead up to a performance by the Red Hot Chili Peppers in apartheid Israel, a worldwide campaign calling on them to cancel their show gathered steam.  Over the last several months, our South African, Lebanese, Indian, American, Israeli, and Italian partners, among others, had all written letters to RHCP, and a petition was set up that garnered over 7500 signatures [1], a first of its kind. 
 
In Lebanon, days before their show, the famous band, Mashrou3 Leila, announced that it would be opening for RHCP and a huge online deb
October 3, 2012
Declaração PACBI
Occupied Palestine, 10 September 2012 -- The Palestinian Federation of Unions of University Professors and Employees (PFUUPE), the General Union of Palestinian Writers, the Association of University Teachers-Gaza, and the Palestinian Campaign for the Academic and Cultural Boycott of Israel (PACBI) stand in solidarity with Judith Butler in the face of the recent vicious attacks and bullying by Israel and Zionist gro
September 11, 2012
Declaração PACBI

 Dear Mashrou3 Leila,

September 7, 2012
Declaração PACBI
September 6, 2012
Declaração PACBI
August 31, 2012
Declaração PACBI
August 31, 2012
Declaração PACBI

Occupied Ramallah, 28 August 2012 -- Palestinian civil society stands united in its support for boycott, divestment and sanctions (BDS) against Israel, including in the cultural field.

August 28, 2012
By: 
Declaração PACBI

 “Where governments refuse to act people must, with whatever peaceful means are at their disposal. For me this means declaring an intention to stand in solidarity, not only with the people of Palestine but also with the many thousands of Israelis who disagree with their government‘s policies, by joining the campaign of Boycott, Divestment, and Sanctions against Israel.” – Roger Waters [1]

August 2, 2012
Declaração PACBI

 “Where governments refuse to act people must, with whatever peaceful means are at their disposal. For me this means declaring an intention to stand in solidarity, not only with the people of Palestine but also with the many thousands of Israelis who disagree with their government‘s policies, by joining the campaign of Boycott, Divestment, and Sanctions against Israel.” – Roger Waters [1]

August 2, 2012